Os acidentes na construção civil são os que ocorrem mais frequentemente no Brasil. Grande parte desses casos acontecem em decorrência de situações comuns no canteiro de obras, como a não utilização de EPIs ou a falta de um mapa de riscos.

A negligência na construção civil aumenta consideravelmente os perigos à segurança dos trabalhadores, facilitando a ocorrência de acidentes que podem ser fatais. Por isso, o responsável deve efetuar uma gestão de riscos eficiente e conhecer todos os riscos presentes no canteiro de obras.

Pensando em ajudar você a identificar esses problemas, elaboramos o artigo de hoje, que elenca os maiores riscos de acidentes na construção civil. Continue acompanhando!

Qual a importância do mapeamento de riscos?

Os riscos existem nos variados ambientes de trabalho, independentemente da área de atuação. Eles podem acontecer em qualquer lugar, do escritório ao canteiro de obras.

No entanto, grande parte desses problemas, na construção civil, podem ser facilmente evitados. Para isso, é imprescindível elaborar o mapa de riscos, que é um documento responsável por evidenciar todos os pontos de perigo presentes nos canteiros de obras e mostrar como minimizá-los.

Por meio desse mapa, é possível também estabelecer os equipamentos de proteção individual (EPIs) adequados para atender às necessidades dos colaboradores.

Quais os maiores riscos de acidentes na construção civil?

Agora que você já sabe a importância de elaborar o mapa de riscos na construção civil, aprenda quais são os acidentes que podem ocorrer no canteiro de obras.

Quedas de nível

Na construção civil, os trabalhos em altura são frequentes e respondem por um grande número de acidentes que, em muitos casos, são fatais. Por isso, a utilização de andaimes é fundamental, de acordo com as precauções previstas na NR-35.

Além disso, a empresa responsável deve orientar os colaboradores sobre como agir frente a possíveis acidentes e disponibilizar EPIs adequados para o trabalho em altura.

Choques elétricos

Grande parte das obras envolve o uso de energia elétrica. Por isso, é fundamental garantir que nenhum fio fique exposto, caso contrário, os riscos de choque são consideravelmente altos. Também é imprescindível conhecer e treinar os funcionários quanto à NR-10, norma responsável por definir as práticas de segurança para trabalhos que envolvem eletricidade.

Por meio dessa norma, é possível identificar as medidas de segurança ideais para equipamentos e colaboradores que trabalham com energia elétrica. Além disso, os profissionais que atuam diretamente com eletricidade precisam ter certificados de treinamento na NR-10.

Queda de materiais

A grande movimentação de objetos pesados nos canteiros de obra remete a um perigo muito comum: de queda e deslizes de materiais. Esse é um tipo de ocorrência que pode resultar em acidentes fatais, além de trazer prejuízos — como danos a ferramentas e insumos. Para reduzir as chances desse tipo de acidente, os trabalhadores devem utilizar os EPIS recomendados.

Além disso, vale a pena reforçar a necessidade de total atenção durante as atividades, orientando os trabalhadores a seguirem as medidas de proteção adequadas para manusear materiais e objetos no canteiro de obras.

As rotinas de carga e descarga também cabem nesse tópico. Todos os trabalhadores devem seguir as medidas de segurança adequadas para evitar que algum objeto caia ou seja danificado no veículo de transporte.

Vale ressaltar que, para garantir a segurança na obra, é muito importante sinalizar e isolar corretamente as áreas nas quais há maior movimentação de carga.

Perda auditiva

A perda auditiva induzida por ruído ocupacional (PAIR) é um risco que deve ser levado a sério no canteiro de obras. A exposição constante a elevados níveis de pressão sonora no ambiente laboral muitas vezes não pode ser revertida.

Dessa forma, a utilização de EPIs auditivos é fundamental. No entanto, não são apenas os ruídos que causam a PAIR. A exposição a produtos químicos nocivos à saúde também pode afetar a audição dos colaboradores. Sendo assim, fique atento caso sua equipe precise manusear metais, como:

  • chumbo;
  • cobalto;
  • manganês;
  • mercúrio;
  • arsênio etc.

Alguns gases asfixiantes — como nitrato de butila, monóxido de carbono e cianeto — também são prejudiciais à saúde. Além disso, observe se há utilização de solventes orgânicos, por exemplo: xileno, estireno, tolueno, dissulfeto de carbono e butanol.

Ausência de sinalização

A sinalização de riscos é um aspecto de extrema importância para a segurança no canteiro de obras, e sua ausência pode fazer com que as equipes fiquem menos atentas e até esqueçam as medidas preventivas obrigatórias para o dia a dia.

Todos os colaboradores devem estar cientes dos pontos nos quais há riscos de acidente e dos agentes nocivos presentes no ambiente laboral. Além disso, é obrigatório que utilizem EPIs e sigam as medidas de segurança estabelecidas de acordo com o tipo de perigo a que estão expostos.

Lembre-se de evidenciar quais são os locais que demandam maior cuidado, deixando bem claro os riscos que trazem para a saúde do colaborador.

Exposição a corpos estranhos

No ambiente de trabalho da construção civil, é bastante comum se deparar com animais peçonhentos — como aranhas, escorpiões, abelhas, formigas, cobras etc. Com isso, antes de iniciar uma obra, é importante checar se há animais que podem prejudicar a saúde dos colaboradores.

Para garantir segurança quanto a essa situação, é importante usar EPIs como botas, luvas, máscaras e uniformes capazes de proteger contra picadas.

No entanto, apenas fornecer os equipamentos não é o suficiente. Cabe ao gestor estabelecer normas e procedimentos internos quanto à utilização e preservação dos EPIs, de acordo com a NR-6.

Falhas em equipamentos e máquinas

Em uma obra, diversos equipamentos e máquinas devem ser manuseados, e a possibilidade de apresentarem falhas pode resultar em grandes acidentes. Mesmo que a operação desses itens só seja realizada por profissionais capacitados, é importante fortalecer o cumprimento das medidas de segurança adequadas.

Outro aspecto importante é se certificar que a manutenção preventiva dos equipamentos e máquinas esteja acontecendo da maneira adequada e dentro da periodicidade esperada. Dessa forma, é possível garantir que eles permaneçam em bom funcionamento e evitar perigos maiores.

Agora, você já conhece os maiores riscos de acidentes na construção civil e sabe a importância de mapeá-los para definir quais os treinamentos normativos e EPIs necessários. Isso é fundamental para evitar problemas trabalhistas e também para garantir a segurança e bem-estar dos funcionários. Portanto, não deixe de seguir as práticas evidenciadas no post de hoje!

Nossas dicas sobre a prevenção de acidentes na construção civil foram úteis? Então, assine nossa newsletter para receber mais conteúdos sobre a segurança do trabalho e a utilização de EPIs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *