Quais os significados das cores de capacetes de segurança?

Sem categoria

Ao entrar em uma obra, é normal notar que os trabalhadores envolvidos com as atividades utilizam diversos Equipamentos de Proteção Individual, os conhecidos EPIs. Um fator que costuma passar despercebido, mas que tem grande relevância em um ambiente de construção, são as cores de capacetes de segurança. Você sabe por que elas se diferem e o que representam?

A verdade é que com o número de profissionais trabalhando e se movimentando no local, é preciso definir algumas normas para controle e organização desse fluxo. A forma mais fácil e efetiva é por meio da escolha de cores conforme a posição ou função do profissional dentro da obra.

Não só o significado das cores de capacetes na construção civil é importante, mas também as cores presentes no canteiros de obras como forma de sinalização de riscos para evitar acidentes. Algumas vezes, as escolhas dependem muito da empresa, mas, para certas opções, existem padronizações.

Tem curiosidade ou necessidade de saber mais sobre o assunto? Então, continue lendo este artigo para entender o porquê das cores utilizadas em capacetes de segurança.

A importância do uso de capacetes de segurança em obras

Para proteger a cabeça contra todo tipo de impacto externo, o capacete de segurança é um equipamento essencial para a manutenção da vida dos colaboradores expostos aos riscos no trabalho.

Feito, em geral, com polietileno de alta densidade, esse dispositivo costuma atuar:

  • na proteção da colisão da cabeça com algum objeto sólido;
  • na redução do impacto causado pela queda de objetos na área do crânio;
  • na proteção contra o risco elétrico.

Como é de se imaginar, o uso dos capacetes como uma medida protetiva é obrigatório. Principalmente, quando falamos da área da construção, esses elementos são referências indispensáveis, não é mesmo?

O capacete de segurança integra o item 6.3 da sexta Norma Regulamentadora (NR). Segundo ela, esses Equipamentos de Proteção Individual (EPI) são itens exigidos sempre que:

  • as medidas de ordem geral não estipulam proteção completa contra a possibilidade de riscos acidentais e doenças profissionais;
  • medidas de proteção coletiva estão sendo implantadas;
  • no atendimento de situações de emergência (ferimentos na região da cabeça, na maioria das vezes, podem ser fatais).

Sendo assim, para oferecer mais proteção ao trabalhador e reduzir o índice de riscos de acidentes, esse elemento é considerado um EPI obrigatório dentro de qualquer obra.

Vale lembrar que, segundo a NR6, eles podem ser de fabricação nacional ou importados e só poderão ser colocados à venda ou utilizados com a indicação do Certificado de Aprovação (CA). O selo é expedido pelo órgão nacional competente em matéria de segurança e saúde no trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE)

Além disso, a empresa deve fornecer — gratuitamente — aos empregados o EPI adequado ao risco, em perfeito estado de conservação e funcionamento. Muitos são os riscos aos quais os trabalhadores estão expostos no ambiente de obra. Além dos capacetes, portanto, existem outros equipamentos indispensáveis, entre eles:

  • protetor auricular, usado para abafar ruídos provenientes de equipamentos utilizados na obra;
  • máscaras de poeira, para proteção da poeira vinda do corte de materiais, bem como a exposição a cimento e areia;
  • botas, que fazem a proteção dos pés a perfurações de pregos ou outros objetos cortantes por quedas;
  • cinto de segurança, usado para proteção a queda em qualquer trabalho em altura;
  • luvas para evitar cortes nas mãos ao manusear determinados materiais,
  • óculos, afim de evitar que quaisquer partículas finas prejudiquem a visão.

Significado das cores dos capacetes na construção civil

É verdade que as cores dos capacetes têm relação direta com as funções que cada profissional desempenha dentro da empresa. No entanto, apesar de existir uma Norma Regulamentadora padronizada pela CIPA, estabelecendo as cores desses equipamentos na construção civil, ainda não há um padrão oficialmente definido.

Assim, o que costuma acontecer na prática é que a instituição acabe definindo o assunto de maneira individual. Mesmo com essa escolha particular, ao longo dos anos houve o estabelecimento de um padrão comum, principalmente dentro das obras.

Isso porque é essa identificação por cor do capacete que permite um reconhecimento a distância, facilitando muito não só no controle, mas também a segurança em todo o ambiente de trabalho. As cores de capacetes também padronizam uma hierarquia dentro do canteiro de obra, o que facilita o fluxo de pessoal e atividades.

Por isso, o que veremos a seguir tem a ver com esse padrão não oficial, mas que, de certa forma, é reproduzido de maneira comum por grande parte das empresas. Confira.

Capacete branco ou cinza

Os capacetes branco ou cinza são utilizados pelo pessoal que faz a gestão e administração da obra. São usados por engenheiros, técnicos de edificação, mestre de obras e encarregados, além dos estagiários.

Capacete azul

Os capacetes azuis são usados pelos pedreiros.

Capacete verde

Geralmente, esses capacetes são utilizados pelos serventes e pelos operários que trabalham com ferragens, fazendo armação.

Capacete vermelho

Já os capacetes vermelhos, via de regra, são utilizados por bombeiros hidráulicos e, em algumas obras, pelos carpinteiros.

Capacete laranja

Os capacetes laranja ficam com os eletricistas.

Capacete preto

Os pretos são utilizados pelos profissionais da segurança do trabalho e por operadores de máquinas.

Capacete amarelo

Por fim, os capacetes amarelos são utilizados por visitantes.

Tipos e classes dos capacetes de segurança

Esses itens de segurança são divididos em classes e tipos. Veja, abaixo, os principais.

Classes

Capacete Classe A

Essa classe de capacete costuma ser composta por polipropileno de alta densidade. O ideal é que ele não apresente porosidade e, de preferência, tenha um adaptador para lanterna, caso os trabalhadores sejam expostos a lugares com pouca luz.

Amplamente utilizado na área de construção civil, os capacetes classe A também são indicados para todo tipo de trabalho em altura, como alpinismo, resgate e atividades em ambientes florestais. Porém, ele não deve ser utilizado em trabalhos com rede elétrica.

Capacete Classe B

Já os capacetes dessa classe — apesar de muito parecidos no formato e composição com os dispositivos da categoria anterior — apresentam maior rigidez dielétrica e tensão elétrica aplicada. Por isso, esse equipamento é indicado para atividades que evidenciam o manuseio de rede elétrica.

Tipos

Capacete tipo aba frontal

Muito comum na construção civil, os capacetes de segurança com aba frontal oferecem proteção para os olhos e rosto. A aba e a viseira defendem a face e a cabeça em trabalhos com riscos de explosões, queimaduras ou exposição à projeção de partículas.

Capacete tipo aba total

Indicado para trabalhadores externos, esse modelo garante mais proteção, defendendo o usuário contra:

  • líquidos;
  • agentes meteorológicos (como o trabalho a céu aberto);
  • impactos decorrentes de quedas;
  • queimaduras;
  • irradiação solar;
  • choque elétrico.

Capacete sem aba

O capacete sem aba oferece proteção contra diversos tipos de impacto na cabeça, mas apresenta um formato mais compacto, sendo o mais barato e um dos mais utilizados pelas empresas.

De todos os tipos de capacetes que existem, é claro que podem haver variações específicas não citadas neste artigo. Esse fato depende da função que o trabalhador executará.

As variações do dispositivo estão ligadas às maneiras de incrementá-lo, como a adequação de um suporte para lanternas (muito comum entre mineradores), entre outras atribuições e ajustes.

Independentemente da variação, é muito importante que o formato, a função e a qualidade desses equipamentos sejam sempre devidamente certificados, conforme já mencionamos. Funcionamento, prazo de validade e armazenamento devem ser observados de perto, já que o principal objetivo é garantir a proteção dos colaboradores.

Uso das cores na prevenção de acidentes de trabalho

A utilização de cores de sinalização no canteiro de obras é de fundamental importância para evitar acidentes de trabalho. A Norma Regulamentadora NR 26 estabelece as cores para cada ambiente e sinalização, que além de delimitar determinadas áreas, ainda ajuda a identificar equipamentos de segurança.

Abaixo, estão listadas as cores utilizadas nos canteiros de obras e a função de cada uma.

Vermelho

A cor vermelha indica equipamentos e aparelhos que são utilizados para proteção contra incêndio. Entre eles estão portas de saída de emergência, rede de água contra incêndio, caixas de alarme, sirenes etc.

Amarelo

A sinalização em amarelo serve para indicar cuidado em locais onde pode acontecer algum tipo de acidente, como:

  • corredores sem saída;
  • partes baixas de escada;
  • faixas para indicar elevadores e plataforma de carregamento, entre outros.

Branco

O branco é, geralmente, colocado para faixas de direção, localização e circulação.

Verde

A cor verde simboliza segurança. Ela é usada para sinalizar macas, equipamentos de emergência, máscaras de proteção contra gases, fontes lavadoras de olhos etc.

Azul

É a cor que indica cuidado. Ela avisa uso e movimentação de equipamentos, que deverão permanecer fora de serviço.

Ficou claro o quanto as cores estão presentes no dia a dia do canteiro de obras e que elas são essenciais, não só para hierarquizar e organizar o fluxo de pessoal dentro do mesmo, mas também para orientar os diversos pontos e equipamentos que estão presentes no ambiente de trabalho. Assim, evita-se o risco de acidentes para os funcionários.

Se você se preocupa que sua empresa esteja sempre de acordo com o que dizem as normas de segurança e com a integridade física de seus funcionários, precisa procurar por uma empresa que forneça equipamentos de qualidade, e claro, por um preço justo. Por isso, entre em contato com a Contuflex e veja o que há de melhor do segmento no mercado.

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *